27.12.06

O único livro que recebi de presente de Natal... é uma colectânea de contos sobre a amizade... tem contos extraordinários... alguns conhecidos, outros nem por isso...

O incrível é que nunca "pensei" a amizade... ela surge, vai crescendo, tem o seu domínio próprio na minha vida... e nunca senti a necessidade de reflectir sobre ela(s)...

Com este livro acabei por "parar e pensar" um pouco no quanto a amizade é algo primordial na minha existência... no quanto ela é importante... e, no facto, de acabar, inconscientemente (ou talvez não), por a "deixar um pouco de lado", em detrimento de sentimentos que achamos mais importantes, como, por exemplo, o Amor...


Hoje... decidi... parar... sentir... e reflectir... sobre a amizade!! :)


"Conhecer alguém aqui e ali que pensa e sente como nós, e que embora distante, está perto em espírito, eis o que faz da Terra um jardim habitado."
Goethe
 
posted by Lucie L at 27.12.06 | 3 comments
19.12.06
Image Hosted by ImageShack.us

Sorrisos no Natal.
-
Tenho de me redimir. Não tenho escrito aqui tanto quanto gostaria. Será agora o espírito Natalício a fazer das suas? Talvez.
-
Vou ser curta e deixar aqui um pensamento, uma observação feita por esta Alien.
Já repararam que para além do consumismo de que tanto se fala, as pessoas sorriem mais no Natal? Não é pena que seja só nesta quadra? E dou-vos um exemplo: devido a uma operação ao joelho ando agarrada a uma maldita muleta e não é que desde que entrámos nesta quadra de cada vez que alguém me dá um pontapé na dita cuja, prontamente me pede desculpa e se desfaz em sorrisos amistosos. E perguntam vocês: e não foi sempre assim? Não!Fartei-me de levar cacetadas e muitas dessas pessoas nem para trás olhavam.
-
Bem, se o Natal serve para que as pessoas andem mais bem dispostas - algumas- então viva o Natal. A minha muleta e a minha pessoa também agradecem.
-
Saudações alienígenas e um Feliz Natal para todas as Sementes



 
posted by Alien David Sousa at 19.12.06 | 6 comments
16.12.06

Na vida existem certos momentos, que sentes muito a falta de uma pessoa, a ponto de querer tirá-la de seus sonhos e abraça-la muito apertado...

Quando se fecha a porta para a felicidade, ela voltará a se abrir, mas nós seguimos olhando para a porta fechada sem dar importância a esse novo momento.

Não te baseies nas aparecências, elas enganam.
Não te interesses pela riqueza, ela desvanecerá.
Busca alguém que saiba te conquistar com um sorriso, porque basta só um para que o dia mais triste volte a ficar melhor.
Busca alguém que faça rir o teu coração.
Sonha o que queres sonhar.
Vá aonde queiras ir.
Busca ser aquilo que queres.
Porque a vida é uma só.
Portanto existe uma só possibilidade de fazer as coisas que desejas.

Vos desejo muita felicidade na vida, para que se sintam bem.
Tantas provas, para que se tornem fortes.
Lágrimas, para sentirem-se humanos.
Esperança, para poderem ser feliz.

Os afortunados não necessariamente tem o melhor do melhor.
Mas, buscam o melhor daquilo que encontram em seu caminho.

O futuro mais esplêndido vai depender sempre da necessidade de esquecer o passado.
Não podes seguir adiante na vida antes de superar os erros do passado e tudo o que castiga teu coração.

Quando tu eras pequeno, ao chorar todos ao seu redor sorriam.
Viva a vida de maneira que ao final sempre sorrias, ainda que os outros chorem.

O futuro mais esplêndido vai depender sempre da necessidade de esquecer o passado.
Não podes seguir adiante na vida antes de superar os erros do passado e tudo o que castiga teu coração.
 
posted by Paula NoGuerra at 16.12.06 | 2 comments
11.12.06

O homem foi ao barbeiro para cortar o cabelo, como ele sempre fazia.
Começou a conversar com o barbeiro e falaram sobre vários assuntos.
Conversa vai, conversa vem, eles começaram a falar sobre Deus.
O barbeiro disse:
- Eu não acredito que Deus exista como você diz.
- Por que você diz isto? o cliente perguntou.
- Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que existiriam tantas pessoas doentes e crianças abandonadas? Se Deus existisse não haveria dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar um Deus que permite todas essas coisas.
O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para evitar uma discussão. O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu. Neste momento, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos. Parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia a barba. Então o cliente voltou para a barbearia e disse ao barbeiro:
- Sabe de uma coisa? Barbeiros não existem.
- Como assim, eles não existem? perguntou o barbeiro. Eu estou aqui e sou um barbeiro.
- Não! exclamou o cliente. Eles não existem porque se existissem não existiriam pessoas com barba e cabelos longos, como aquele que está andando ali na rua.
- Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram, e isso é uma opção delas.
- Exatamente. afirmou o cliente. É justamente isso. Deus existe. O que acontece é que as pessoas não O procuram, pois é uma opção delas, e é por isso que há tanta dor e sofrimento no mundo.
 
posted by Paula NoGuerra at 11.12.06 | 4 comments
10.12.06
"É tão doce sonhar!... A vida nesta terra vale apenas,talvez, pelo sonho que encerra."
Martins Fontes

Sonhar acordado?! É tão bom... é algo maravilhoso, que dá cor à nossa vida!!
...
Muitas vezes, pelo correr do tempo, pela forma como a nossa vida é conduzida e segue por esses caminhos estranhos, esquecemo-nos de sonhar...
...
Perdemos um dom que nos é inato e que faz parte de nós...
Calamos (ou não ouvimos) a voz do sonho, da magia...
Talvez tenhamos medo do sonho... talvez sejamos incapazes de sonhar porque a nossa parte racional ( de adulto) nos avisa que um sonho terá fim e que acordar será doloroso!
...
Eu própria já me esquecera do que era sonhar acordada... do que era olhar o dia com a magia no olhar, com o sonho na alma...
Não sei precisar o momento em que perdi a capacidade de ouvir os meus sonhos...mas sei que, felizmente, voltei a sonhar acordada... e embora já tenha despertado desse meu sonho, continuo a sentir na alma o que de bom senti e continuo a ter motivos para sorrir pela manhã e para olhar o mundo com outra vontade, com outra força...
...

 
posted by LuciaLourenco at 10.12.06 | 5 comments
2.12.06
LEMBRA-SE DAQUELA TOCANTE HISTÓRIA DO LIVRO: O PEQUENO PRÍNCIPE?


Bom, existe uma história mais tocante ainda que aconteceu de fato com o criador do Pequeno Príncipe, o escritor francês Antoine de St. Exupéry.

Poucas pessoas sabem que ele lutou na Guerra Civil Espanhola, quando foi capturado pelo inimigo e levado ao cárcere para ser executado no dia seguinte.
Nervoso, ele procurou em sua bolsa um cigarro, e achou um, mas suas mãos estavam tremendo tanto que ele não podia nem mesmo levá-lo à boca. Procurou fósforos, mas não tinha, porque os soldados haviam tirado todos os fósforos de sua bolsa.
Ele olhou então para o carcereiro e disse: "Por favor, usted tiene fosforo?".
O carcereiro olhou para ele e chegou perto para acender seu cigarro. Naquela fração de segundo, seus olhos se encontraram, e St. Exupéry sorriu.Depois ele disse que não sabia por que sorriu, mas pode ser que quando se chega perto de outro ser humano seja difícil não sorrir. Naquele instante, uma chama pulou no espaço entre o coração dos dois homens e gerou um sorriso no rosto do carcereiro também. Ele acendeu o cigarro de St. Exupéry e ficou perto, olhando diretamente em seus olhos, e continuou sorrindo. St. Exupéry também continuou sorrindo para ele, vendo-o agora como pessoa, e não como carcereiro.

Parece que o carcereiro também começou a olhar St. Exupéry como pessoa, porque lhe perguntou: "Você tem filhos?". "Sim", St. Exupéry respondeu, e tirou da bolsa fotos de seus filhos. O carcereiro mostrou fotos de seus filhos também, e contou todos os seus planos e esperanças para o futuro deles. Os olhos de St. Exupéry se encheram de lágrimas quando disse que não tinha mais planos, porque ele jamais os veria de novo. Os olhos do carcereiro se encheram de lágrimas também. E de repente, sem nenhuma palavra, ele abriu a cela e guiou St. Exupéry para fora do cárcere, através das sinuosas ruas, para fora da cidade, e o libertou.
Sem nenhuma palavra, o carcereiro deu meia-volta e retornou por onde veio. St. Exupéry disse: "Minha vida foi salva por um sorriso do coração".

O que foi aquela "chama" que pulou entre o coração desses dois homens? Isso tem sido tema de intensa pesquisa atualmente, na medida em que os cientistas estão se dando conta de que o coração não é meramente uma bomba mecânica, mas um sofisticado sistema para receber e processar informações. De fato, o coração envia mais mensagens ao cérebro que o cérebro envia ao coração!

Como disse o filósofo francês Blaise Pascal: "O coração tem razões que a própria razão desconhece".

Estados emocionais negativos, como raiva ou frustração, geram ondas eletromagnéticas totalmente caóticas do coração, como se estivéssemos pisando no acelerador e no breque simultaneamente. Esse estado de batimentos desordenados é chamado de "incoerência cardíac a" e está ligado a doença cardíaca, envelhecimento precoce, câncer e morte prematura. Em estados de amor ou gratidão, nosso batimento cardíaco torna-se "coerente". Isso diminui a secreção dos hormônios do estresse, reduz a depressão, hipertensão e insônia, melhora o sistema imune e aumenta a clareza mental. Essa é uma das razões pelas quais tem sido provado que as emoções positivas estão associadas à boa saúde física e mental - e à longevidade. Essa irradiação coerente do coração- essa "chama" de genuína afeição - pode afetar pessoas a uma distância de até 5 metros!

Logo, na próxima vez em que você estiver numa situação difícil, respire profundamente, lembre-se de St. Exupéry e do Pequeno Príncipe e irradie a energia de seu coração. Como o Pequeno Príncipe nos lembrou,"somente com o coração podemos ver com clareza".
 
posted by Paula NoGuerra at 2.12.06 | 3 comments